Quais são as pragas mais comuns em mercados e como evitá-las

Os alimentos e a água são os principais atrativos para as pragas urbanas e, por esse motivo, mercados, que lidam frequentemente com o comércio de produtos alimentícios, se tornam bastante expostos a esses pequenos bichos. O trânsito de mercadorias é muito acentuado e os novos carregamentos podem trazer vetores do ambiente externo e driblar até mesmo as verificações mais atentas, porque é quase impossível discernir ovos de insetos depositados em sacolas ou caixas de produtos, por exemplo. O problema é que, se os cuidados para evitar essas pragas não forem tomados, além de gerar um problema sanitário, a situação pode trazer sério risco à boa reputação do estabelecimento. Então, quais seriam e como combater adequadamente as pragas mais habituais nesses ambientes?

As baratas

Esses insetos estão presentes em vários locais, desde os mais salutares, como onde há comida, até os mais insalubres, como esgotos, lixo ou entulho. A primeira medida para combatê-las é fazer uma boa vedação de ralos, janelas, portas e tubulações, além de jamais deixar material entulhado ou fazer armazenamento bagunçado e desordenado. O recurso mais eficiente, que funciona ao mesmo tempo como prevenção e combate direto é a dedetização característica para este tipo de praga, que garante a segurança do lugar por três a seis meses, dependendo de cada caso, o que é realizado com vistorias técnicas e aplicação de produtos inseticidas.

Os ratos

Pequenos redores podem chegar ao interior de mercados por meio de esgotos, serem trazidos de fora nos carregamentos ou passando pelos espaços entre paredes e pelas portas e fendas. São ágeis e atuam furtivamente, de modo que muitas vezes é possível apenas identificar seus rastros. É muito importante que o estabelecimento se previna dessa praga, pois são animais transmissores de várias doenças, desde sarnas e alergias até mais graves, como leptospirose e hantavirose. Para isso, é conveniente fazer uma excelente gestão do lixo, evitar o entulho e cumprir vistorias pelo menos quinzenais nos lugares do mercado, a fim de ter um controle integral do ambiente, e se utilizar métodos de desratização. Os mecânicos, como armadilhas, iscas e placas de cola, e os químicos, que seriam as rodenticidas e produtos tóxicos que causam a morte do roedor, são os mais utilizados.

As formigas

Esses insetos também são muito comuns e existem em torno de trinta espécies presentes nos centros urbanos. Por conta desta variedade, não são apenas as formigas que se alimentam diretamente de açúcar que podem surgir nos mercados, mas também aquelas que se alimentam de frutas e legumes, por exemplo. Ou seja, este estabelecimento se torna um prato cheio para elas! E já que não é possível eliminar o alimento que está à disposição para esses insetos, deve-se examinar constantemente se as embalagens de alimentos doces estão bem fechadas; limpar bem o ambiente, sobretudo quando ocorre algum acidente com produtos doces nos corredores ou estantes do mercado e coletar o lixo adequadamente. É preciso tomar os mesmos cuidados com vedações de ralos e frestas e fazer aplicações em gel, iscas atrativas ou dedetizantes especiais, contando com a ajuda de empresas especializadas, para que os artigos alimentícios continuem preservados e aptos para consumo.

Por conta de tudo isso, os supermercados e comércios que lidam com alimentos devem estar sempre bem limpos, para conservar não só a saúde dos clientes, mas também prezar por uma aparência confiável e de cuidado com quem consome nesses locais, além de contar com os bons serviços atrelados à dedetização e desratização.

Como está seu comércio em relação às pragas urbanas? Compartilhe suas experiências conosco!

Categoria: Controle de Pragas, destaque | Tags: .

Comments are closed.