Quais são as pragas mais comuns em indústrias e como evitá-las

Cada vez mais as indústrias, sobretudo como as farmacêuticas e alimentícias, vêm prestando atenção a fatores relacionados com a higiene, a proteção de materiais e estoques, e o controle de pragas em seus ambientes laborais. No entanto, se houver algum deslize nos programas de monitoramento ou nos sistemas preventivos aplicados, alguns espaços ou zonas podem se tornar propícios ao surgimento de espécies nocivas à saúde humana ou que venham a destruir as propriedades do estabelecimento. Veja quais são as pragas mais comuns na indústria e saiba como evitá-las.
Pragas biológicas

A fim de facilitar o entendimento das possibilidades de pragas na indústria, faz-se conveniente categorizá-las em determinados conjuntos, e o primeiro deles consiste nas pragas biológicas. O grupo inclui bactérias, fungos e outros micro-organismos, que estão presentes especialmente no segmento alimentício. A fim de evitar a proliferação dos agentes microscópicos e livrar-se da eventualidade trágica de uma contaminação microbiana, a ótima higienização da fábrica e dos muitos setores operacionais por onde os produtos passam, são guardados e permanecem armazenados é uma tarefa mandatória e importantíssima. Isso inclui não apenas a limpeza, mas também a sanitização dos espaços, quando houver demanda para isso.

A água aproveitada nos processos industriais deve ser limpíssima, devendo passar pelos sistemas adequados à atividade, como, por exemplo, a filtragem, a desinfecção e a osmose reversa. Outros cuidados especiais devem ser tomados quanto aos conservantes utilizados nos materiais e produtos já processados, segundo o espectro da atividade bacteriana, o equilíbrio e a coincidência com a formulação. A qualidade da matéria-prima, fator essencial para não correr riscos, precisa ser mantida nos períodos de empacotamento, estocagem e conservação dos produtos, controlando-se o arejamento dos locais, a temperatura e as ações de manuseio feitas pelos operadores.

Pragas físicas

Esse grupo inclui espécies e vetores como baratas, cupins, moscas, caramujos e ratos, entre outros. A adoção de ações preventivas é especialmente válida aqui, a fim de poupar ou abater as iniciativas de combate às pestes já instaladas nos ambientes industriais. É necessário evitar que tais bichos tenham acesso à água e a elementos que componham sua alimentação, e por isso a principal medida aqui é a higienização primorosa dos locais. Cada um destes bichos têm a preferência por determinados itens alimentícios, mas quando há detritos, desarrumação e objetos abandonados, proporcionando locais com umidade, calor e sombra, a maioria destas pragas podem aproveitar para surgir e se desenvolver.

É importante ainda impedir o ingresso dessas pragas aos lugares onde funcionam os processos industriais, colocando-se barreiras em frestas das janelas, portas e paredes, fechando os tubos e canalizações, e conferindo criteriosamente os objetos e mercadorias que adentram o local. De outro modo, é possível empregar ações diversas de combate, o que vai depender do tipo e da proliferação da praga, entre as quais armadilhas adesivas, aspiração, aplicação de iscas à base de inseticidas, controle de temperatura, e muito mais.

Pragas químicas

Nessa categoria, que pode se manifestar em vários segmentos industriais, e não somente nos setores que lidam diretamente com as matérias-primas rurais, estão abarcados os inseticidas, fungicidas e outros tipos de dedetizadores. Muitas vezes, essa situação é decorrente de medidas tomadas para se evitar outros tipos de pragas, como ervas daninhas, larvas e outros animais nas lavouras, ou compostos químicos inadequados para o controle de bactérias. Em geral, recomenda-se que os produtos químicos só sejam usados quando outras medidas não sejam possíveis, sendo inadequados para os locais de produção e estoque de matéria-prima.

Porém, inevitavelmente, o combate às pragas químicas já presentes será feito com o uso de novos compostos químicos, que consigam absorver ou minorar os malefícios das substâncias presentes nos produtos analisados. Isso envolve o know-how e a manipulação de importantes princípios ativos, os quais exigem conhecimentos técnicos e cuidados de segurança da saúde dos operadores que estarão em contato com eles.

Sua empresa vem sofrendo com o aparecimento de pragas, mesmo que você esteja tomando as medidas que acha mais adequadas para evitá-las? Você deseja saber mais sobre controle integral de pragas, limpezas técnicas industriais e outros serviços de saneamento ambiental? Escreva suas questões nos comentários. Nossa equipe poderá ajudá-lo!

Categoria: Controle de Pragas, destaque | Tags: .

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *