Limpeza de Caixas de Gordura

Caixas de gordura precisam ser limpas com freqüência Expresso d’Oeste 4/11/2011 14:05:40

Limpe a cada seis meses e siga as recomendações de tamanho e capacidade para garantir o bom funcionamento da caixa de gordura. As caixas de gordura são fundamentais para o bom funcionamento do esgoto de sua casa, mas necessitam passar por manutenção constante. Segundo especialistas em limpeza, as caixas de gordura residenciais precisam ser limpas pelo menos a cada seis meses para evitar problemas como entupimento dos canos, mau cheiro, escoamento lento da água da pia e invasão de pragas urbanas (baratas e ratos, por exemplo). Além da muntenção, construí-las dentro das definições especificadas pela Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) é fator importante para a eficiência do sistema. De acordo com Samuel Seemann Junior, da Hidro Service, empresa especializada na limpeza de caixas de gordura, localizada em Palhoça, o ideal é limpar a caixa de gordura a cada três meses. “É claro que isso depende da quantidade d e gordura depositada no sistema, mas essa medida, além de evitar entupimentos e mau cheiro, vai reduzir significativamente o número de baratas na residência e até ratos, animais que são extraídos pela gordura”, explica Seemann. Para ele, algumas medidas são muito importantes para evitar que se acumule muita sujeira na caixa, entre elas o uso de uma peneira no ralo das pias. “As pessoas sabem o que fazer, mas acabam ignorando o que é certo e a conseqüência é inevitável: o entupimento”, diz ele, acrescentando que a Hidro Service desentope, em média, entre três a cinco caixas de gordura diariamente. “Se formos considerar que há muita concorrência, vamos verificar que muita gente padece do mesmo problema”. Para José Genésio Cabreira, da Desentupidora Ecológica, de São José, a demanda por serviços de esgoto domestico vem aumentando bastante em função da ligação de esgoto feita pela Casan. “A rede foi feita, agora a fiscalização está verificando as ligações e todas as condições de escoamento das residências”, diz o profissional. Segundo ele, a manutenção nas caixas de gordura é coisa simples, desde que seja feita com freqüência. “Tem gente que prefere usar bactérias biológicas para consumir a gordura nas caixas, mas não são em todos os casos que isso vem a funcionar. As vezes, é preciso mesmo retirar a gordura. Mas tudo depende do quanto é depositado de sujeira na caixa”, ressalta. Ainda uma ilustre desconhecida para muito proprietários de imóveis, a caixa de gordura é uma estrutura retangular ou cilíndrica, feita de diversos materiais e instalada geralmente na parte externa da casa, que recebe a água da pia da cozinha antes de seguir para a rede pública de esgoto. Seu papel é reter a gordura e outros dejetos sólidos, deixando apenas a água passar para o encanamento da rua. Nos últimos meses, a Casan vem realizando um trabalho de fiscalização nas residências para controlar o sistema de esgoto domestico, já que a gordura tende a entupir os canos, causando a volta da água suja pelos ralos e, em época de chuva, o alagamento de ruas. Para o funcionamento correto, não basta ter a caixa, é preciso sempre limpá-la. Se o morador não fizer a manutenção constante, existe o risco de entupimento, fazendo a gordura voltar pela tubulação interna. Isso causa sujeira, mau cheiro e sérios riscos a saúde. A limpeza ideal em caixas de residências normais deve ser feita a cada seis meses. Em imóveis que lidam com refeições, como lanchonetes e restaurantes, a limpeza dever ser quase diária. Para essa manutenção, o proprietário pode realizar o serviço sozinho, abrindo a caixa e retirando os dejetos, ou então optar pela contratação de uma empresa – como as desentupidoras e limpa-fossas. Caso opte pelos profissionais especializados, o morador deverá desembolsar, em média, R$ 100, de acordo com cinco empresas consultadas pela reportagem. É um serviço rápido na maioria das vezes, realizado em menos de uma hora. Regularização – Muitas residências da Grande Florianópolis ainda não tem caixas de gordura ou mesmo utilizam modelos antigos, sem cifão. Por isso, nas casa que já contam com o sistema, é comum encontrar irregularidades. Para que a caixa seja eficiente, ela precisa seguir as características recomendadas pela norma brasileira 8160, da ABNT. Entre as disposições da normativa, estão os tamanhos mínimos e capacidade do sistema. Nas residências comuns (com uma ou duas cozinhas), a caixa precisa ter capacidade de, no mínimo, 18 litros. Além disso, a norma estabelece que deve ser feita em formato retangular ou cilíndrico. Nos edifícios, o mais comum é uma única caixa de gordura para todos os apartamentos. A capacidade mínima recomendada varia de acordo com o número de apartamentos. A NBR 8160 não estabelece, no entanto qual o tipo de material que deve ser feita a caixa. A escolha fica a cargo do proprietário do imóvel. Como é feita a munutenção Assim como no caso das instalações de água, a manutenção das instalações de esgotos dos imóveis é de inteira responsabilidade dos respectivos proprietários ou ocupantes. A limpeza da caixa de gordura deve ser feita semanalmente, lançando-se os resíduos, devidamente ensacados, no lixo. Nos casos de vazamentos (não só esgotos como de água) de um imóvel para outro, também cabe ao proprietário providenciar os reparos. Os vazamentos de esgotos sanitários representam um serio problema de saúde publica, em face dos altos riscos de contaminação que oferecem. Portanto, tenham todo cuidado com a manutenção dessas instalações. A falta de limpeza de sua caixa de gordura poderá lhe causar alguns transtornos, tais como: · Transbordamento pela tampa; · Entupimento das canalizações; · Escoamento lento da água pelo ralo da pia; · Mau cheiro. Bactérias Biológicas – Caso não disponha de mão de obra para limpeza ou coragem de encarar essa tarefa, utilize as bactérias biológicas, para digerir e limpas as caixas. Elas agem degradando a gordura, evitando entupimentos nas tubulações sem danificar nenhuma estrutura estanque das caixas, podendo ser adicionadas diretamente na pia da cozinha. Limpeza – Ao se resfriar, a gordura torna-se sólida e forma blocos, que irão entupir a rede de esgotos sanitários. Assim, é necessário, pelo menos uma vez por semana, limpar a caixa de gordura. A gordura retirada deverá sempre ser ensacada e jogada no lixo nunca na instalação de esgotos sanitários. Dica – As caixas de gorduras que são dimensionadas para estabelecimentos comerciais com número de refeições variados, deverão atender a norma ABNT 8160, onde diz que o nível de água para esses tipos de comercio deverá ser de 0,60m.

Categoria: Uncategorized | Tags: .

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *