Controle de pombos: saiba porque é tão importante

Muitos animais convivem com as pessoas, sobretudo nas grandes aglomerações urbanas, sem que elas se deem conta de que podem estar muito próximas de grandes riscos para a saúde.

Os pombos, por exemplo, são muitas vezes considerados animais bonitos e quase inofensivos — são até estimados como símbolos da paz! Porém, essas aves transmitem inúmeras doenças para os seres humanos. Por isso, deve-se ficar bastante atento para evitar a contaminação.

Saiba no post de hoje porque é importante ter um controle eficaz desses animais na sua casa e o que pode fazer para afastá-los da sua residência!

Onde os pombos se instalam

Essas aves conseguem viver facilmente em cidades e grandes centros urbanos porque montam seus ninhos em qualquer abertura ou ponto das edificações, como marquises, telhados, caixas de ar-condicionado, entre outros lugares.

Nestes locais, dificilmente há predadores para controlar tal população, que tende a crescer, tornando-se quase que uma praga em certos municípios. Os pombos são capazes de se nutrir com variados tipos de comidas: de sementes, minhocas e insetos a restos de comida deixados pelas pessoas em ambientes não acondicionados.

Por isso, não é incomum ver os pombos catando resíduos em lixos nas ruas. Sem falar que algumas pessoas têm o hábito de alimentá-los com miolo de pão, milho e outros grãos nas pracinhas da cidade.

As principais doenças que transmitem

O aumento da quantidade dos pombos não é um problema somente de poluição, por conta de suas fezes deixadas nos prédios, carros e ruas. Eles podem causar doenças sérias, que podem levar à morte ou deixar graves sequelas. Entre elas estão: a salmonelose, a histoplasmose e a ornitose – doenças provocadas por fungos e bactérias que são portadas nos excrementos das aves. Pode-se pegar ainda meningite.

Entretanto, a principal doença que os pombos transmitem é a criptococose, no qual as pessoas se contagiam pela simples inalação dos fungos presentes nas fezes desses animais. Seus sintomas incluem dor de cabeça, febre e sonolência. A moléstia ataca especialmente os pulmões, matando em torno de 30% dos afetados.

Não o bastante, os microorganismos existentes nas asas dos pombos podem causar dermatites e irritações em pessoas mais sensíveis a alergias.

Como evitar os problemas com esses animais

A primeira grande medida para afastar as chances de contaminação com as fezes e o contato com os pombos é não criar condições para que as aves estejam perto de sua casa ou montem seus ninhos nela.

Não os alimente com água e restos de comida. Cuide para que seu lixo esteja sempre bem embalado, e mantenha sua cobertura e as superfícies superiores bem limpas. Se você perceber ninhos e ovos, retire-os rapidamente.

Remova as fezes das aves, usando luvas e máscaras, sempre com o auxílio de panos úmidos e desinfetantes para varrer com facilidade os excrementos, umedecendo-os antes da retirada. Nunca entre em contato direto com pombos sem usar proteção, porque mesmo depois de mortos podem transmitir doenças e contaminar sua família.

Caso você tenha dúvidas sobre o que fazer ou sobre como deve remover os dejetos, ninhos e ovos dessas aves, escreva a seguir, nos comentários! Não deixe de contar com a ajuda especializada de quem conhece sobre o controle de pragas.

Categoria: Controle de Pragas, destaque | Tags: .

Comments are closed.