Como evitar pragas em hospitais?

Se a presença de pragas em uma residência já oferece diversos riscos à saúde, o perigo é ainda maior quando estes animais nocivos entram em um ambiente hospitalar, local em que diversos itens, como medicamentos, instrumentos e equipamentos não podem de forma alguma sofrer contaminação. Além disso, o cuidado deve ser redobrado, pois os pacientes estão enfraquecidos, estando mais propensos a contrair uma infecção.

Prevenir é sempre melhor do que remediar, então veja algumas formas de evitar a presença de pragas como ratos, baratas, pulgas e afins em um hospital:

Estabeleça regras de controle para pontos críticos

Faça um mapeamento dos pontos críticos do hospital, ou seja, os locais que têm mais propensão para a entrada de pragas. Entre eles estão áreas de entrada e armazenamento de materiais – alimentícios ou não; entrada de material e equipamentos hospitalares, refeitórios, telhados etc. A partir daí, estabeleça regras para estes locais como, por exemplo, espalhar cartazes nos refeitórios listando as práticas de alimentação adequadas, como acondicionar corretamente os restos de alimento, lavar as louças após o uso, entre outras. Também é importante resolver problemas nestes pontos críticos, como consertar goteiras, infiltrações, poças de água e bueiros que estejam em mau estado de conservação. Manutenção é outro ponto importante. Mantenha em dia telhados, frestas, interruptores e a vedação dos forros.

Treine sua equipe

Imagine a seguinte situação: inofensivas formigas andam em uma área do hospital em que estão guardados os materiais usados em um curativo. Logo em seguida, entram em uma sala esterilizada, colocando em risco todo o procedimento. Este episódio pode ser evitado caso o hospital tenha uma equipe treinada para reconhecer o início de uma infestação, já que a melhor forma de perceber que insetos estão aglomerados é a observação. Cogite a hipótese se formar uma equipe apenas para função de controle de pragas. Treinamento e orientação para ações preventivas são fundamentais.

Dedetize periodicamente áreas mais propensas à infestação

Áreas críticas, como copas, cozinhas, despensas e redes de esgoto devem ser dedetizadas uma vez ao mês, pelo menos. Bimestralmente deve ser realizada inspeção em áreas como enfermarias, centros cirúrgicos, CTIs, consultórios e todos os outros locais em que haja cuidado com os pacientes. A recomendação da Vigilância Sanitária é a dedetização de pelo menos uma vez ao ano nestas áreas. Para os setores administrativos, a inspeção pode ser feita de forma mais esparsa, a cada três meses.

A presença de pragas no ambiente hospitalar, além ameaçar a segurança dos pacientes, pode manchar a imagem do hospital, já que higiene e limpeza são fatores fundamentais para o bom funcionamento destas instituições. Outro ponto que deve ser levado em consideração é que, além da contaminação, há o enorme risco das pragas se infiltrarem em locais como instalações elétricas, causando enormes danos aos equipamentos e comprometendo a eficiência do hospital. Faça inspeções periódicas e monitore constantemente todas as instalações. Higiene e limpeza devem vir sempre em primeiro lugar. Conscientize sua equipe em relação à importância do tema. Quando o assunto é pragas, prevenir é sempre melhor do que remediar.

Categoria: Controle de Pragas, destaque | Tags: .

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *